Desenho MalhaçãoToda forma de atividade física é bem vinda, seja na academia, nos parques, escolas, faculdades e até no trabalho. Pouco se sabe sobre atividades físicas no trabalho, mas muitas empresas estão preocupadas com o rendimento e a saúde mental e física de seus funcionários.

Temas como a saúde do trabalhador são debatidos entre empresas, diretores, sindicatos a todo instante e são conversadas com organizações que cuidam do direito dos trabalhadores.

A Ginástica Laboral surgiu como uma alternativa para que empresas e colaboradores não tenham prejuízo e possam cuidar mais de sua saúde. Por ser um atividade voluntária, as pessoas desconhecem o funcionamento dessa modalidade e por vezes não participam das atividades quando as empresas trazem profissionais para lecionar aulas.

Uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) mostrou que 62% da população brasileira não pratica nenhuma atividade física e que o sedentarismo torna-se cada vez mais comum entre os jovens e os adultos.

A monotonia que sentimos no trabalho, no final do expediente por exemplo, acaba transformando-se em sedentarismo por não termos a atitude de fazer qualquer esforço físico, por menor que seja.

Ficar sentado o dia inteiro, digitando em uma tela de computador e vivendo estressado a semana inteira é mais uma prova de que estamos deixando nossa saúde de lado. Trabalho e atividade física será sempre a melhor opção!

Chega de sofrer com dores musculares, lesões nas juntas e de viver estressado a semana inteira, aprenda a relaxar e conservar seu corpo com a Ginástica Laboral, porque seu próximo passo será conhecer essa modalidade.

O que é Ginástica Laboral

É a prática voluntária de atividades físicas realizadas pelos trabalhadores coletivamente dentro do próprio local de trabalho durante sua jornada diária, segundo a NESRA – Associação Nacional de Serviços e Recreação para Empregados dos Estados Unidos. O objetivo da ginástica laboral é evitar contusões e problemas de saúde relacionados ao trabalho.

Atualmente existem diferentes formatos de programas de ginástica, e quando se escolhe um determinado programa, fatores como ambiente de trabalho e o perfil dos funcionários devem ser criteriosamente avaliados.

É indispensável o acompanhamento de um profissional de educação física, porque qualquer que seja a atividade, sem auxílio de um profissional, podem trazer sérios problemas, como contusões, estiramentos, etc.

Resultados que são observados rapidamente no ambiente de trabalho e que a atividade proporciona, é a redução da sensação de fadiga no final da jornada e o aumento na produtividade da empresa.

As esferas psicológicas e sociais também são beneficiadas por causa da ginástica, que contribuem no relacionamento social e o trabalho em equipe, desenvolvendo a consciência corporal.

A finalidade dessas atividades é a prevenção de lesões e usualmente baseia-se em técnicas de alongamento, distribuídas pelas várias partes do corpo e novas técnicas de posturas que ajudem os funcionários a ter uma uma rotina melhor e mais saudável.

É comprovado que a Ginástica Laboral é responsável pela redução de despesas por afastamentos médicos, lesões; e acidentes e perante os colaboradores e a sociedade, a imagem da instituição cresce e é elogiada.

Origem da Ginástica Laboral

Como forma de prevenção contra problemas causados por lesões musculares e demais distúrbios relacionados ao trabalho, a ginástica laboral surgiu como uma nova modalidade de atividade física.

Quando foi criada a Ginástica Laboral era conhecida como “Ginástica de Pausa” e vestígios apontam que a atividade iniciou-se na Polônia em 1925. Mais tarde, Holanda e Rússia aderiram a modalidade. Na década de 60 outros países da Europa foram atingidos pela nova modalidade e logo depois o Japão, onde a consolidação foi feita e tornou-se obrigatório GLC – Ginástica Laboral Compensatória.

Em 1973, a ideia foi implantada no Brasil, na escola de educação Feevale com um projeto de educação Física Compensatória e Recreação.

Keneth Cooper entende ter trazido para a medicina o conceito de exercício que dá saúde e alegria ás pessoa. (Marchesini, 2002).

A ginástica laboral veio com a ideia de suprir, em partes, esta necessidade de “espaço e liberdade”, de quebra de ritmo, tentando trazer um clima de descontração e boa saúde para o dia a dia do trabalhador.

É necessário realizar atividades deste tipo, que agreguem todos os funcionários. De acordo com a organização do trabalho a rigidez e monotonia do trabalho atacam primeiro e maciçamente a vida mental dos indivíduos. Assim acaba ocorrendo um desgaste bem maior devido ao esforço para manter-se sob controle.

Quando os trabalhadores começam a se exercitar, praticar dinâmicas juntos, descansar da tensão e do estresse causados por uma rotina de trabalho pesada, eles produzem mais. A ginástica laboral também serve para preencher uma carência de atenção e valorização das pessoas , sendo percebida como uma diferença da empresa para com eles e um sinal de humanização do ambiente de trabalho.

Atualmente, não se continua competitiva no mercado a empresa que não preocupa com a qualidade de vida de seus funcionários, visto que a produtividade é diretamente proporcional à saúde do indivíduo. E é no âmbito de promover saúde mental, amenizando o estresse, e física, combatendo os males como sedentarismo e esforços repetitivos que a tecnologia proporciona, é que a ginástica laboral tem sido uma importante alavanca nesse processo. (PAGLIARI,2002)

Tipos de Ginástica

Há diversos tipos de programas de ginástica laboral no mercado e a escolha de um determinado programa deve ser feita de acordo com a realidade de cada empresa, analisando espaço, funcionários e disponibilidade de tempo da equipe.

Os exercícios são definidos pelo profissional que realizará a atividade, aplicando de acordo com as necessidades e as exigências físicas laborais sobre as várias estruturas ósseas e musculares dos trabalhadores. Existem dois tipos de ginástica laboral, que são aplicadas de diferentes formas: a Preparatória e a Compensatória.

Ginástica Preparatória

  • Duração entre 5 e 10 minutos realizadas antes do início da jornada de trabalho;
  • Constituída de aquecimentos e ou alongamentos específicos, como o alongamento muscular, para determinadas estruturas do corpo exigidas/utilizadas no trabalho;
  • O objetivo é a circulação sanguínea, lubrificar e aumentar a viscosidade das articulações e tendões.

Ginástica Compensatória

  • Duração entre 10 e 15 minutos realizadas durante a jornada de trabalho, adequando as posturas e interrompendo a monotonia operacional;
  • Praticada junto as máquinas de trabalho, no escritório, nos refeitórios ou em um espaço livre;
  • Descontração muscular e relaxamento, visando diminuir a fadiga e prevenir as enfermidades profissionais crônicas.

Roupas de Ginástica

Mulher Fazendo ExercícioÉ comum durante a prática de Ginásticas Laborais em repartições, escritórios, agências surgirem diversas dúvidas, porém a mais comum é a questão da roupa adequada para a atividade.

Em todo ambiente de trabalho há uma roupa específica que adequa-se mais para a sua profissão, mas vamos generalizar um pouco e tentar ilustrar e dar sugestões de como se vestir em um momento como esse.

As empresas antecipadamente avisam aos funcionários quando irá ocorrer essas práticas, mas dependendo de qual ginástica for realizada, talvez seja necessário trocar a roupa.

Quando é realizado a ginástica preparatória, no início da manhã, é possível vir de casa com uma roupa extra em uma bolsa para que você possa trocar. Nessas ocasiões, roupas mais leves e de tactel são boas sugestões para os homens, já para as mulheres calça legging e regatas leves.

No período da tarde, quando geralmente são realizadas o tipo de ginástica compensatória, não precisamos trocar de roupa, porque neste tipo de atividade são feitas maiores sessões de alongamento e exercícios que podem ser feitos com saias, vestidos, calças jeans, sociais entre outros.

O importante da ginástica é a participação de todos e que você possa tirar suas dúvidas quanto a postura e cuidados com seu corpo e sua mente.

Benefícios e Resultados da Ginástica

Em algumas empresas ainda há certas resistências e a falta de incentivo para realização de atividades que integrem todos os funcionários por falta de informação e até certo receio por parte das empresas que seus funcionários fiquem displicentes em relação ao trabalho.

Nas empresas o benefício é enorme porque com a realização dessas atividades ocorre uma redução de despesas por afastamentos médicos e gera um aumento nas produções trazendo conforto e estabilidade nas repartições.

Estatísticas mostram que há um retorno de 3 a 5 vezes sobre a verba aplicada por uma empresa em programas de ginástica e hábitos de saúde, considerando faltas, encargos sociais e outros fatores relacionados à saúde, afetando a produtividade da empresa.

Sugestões para as Empresas

Seu funcionário ficará satisfeito quando perceber que sua empresa zela por todos.

Convide professores de educação física e organize atividades que possam reunir todos seus funcionários como: reuniões de planejamento, cafés da manhã, reuniões criativas, etc.

Além de manter as condições físicas do pessoal da empresa ainda promove mais união e admiração de todos os funcionários. Muitos colaboradores não sabem o quanto a ginástica pode fazer, às vezes por falta de informação. Exercitar-se no momento do trabalho pode evitar vários problemas físicos.

Além de ser uma grande arma contra o sedentarismo, estresse, depressão e ansiedade, também melhora a flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e resistência, promovendo uma maior mobilidade e postura.

Sugestões para Trabalhadores Braçais

Trabalhadores que suportam peso diariamente em suas costas ou sobre os braços necessitam executar atividade que aliviem periodicamente as tensões envolvidas sob o risco de aparecerem lesões musculares ou posturais.

Sugestões para Trabalhadores Administrativos ou de Escritório

Quando se trabalha em um escritório, independente da atividade exercida, geralmente as pessoas não costumam se movimentar muito, ficam mais sentadas ou paradas em pé.

Nesses casos, o estresse também é um fator que prejudica muito a saúde do trabalhador e alguns tipos de problemas podem ser facilmente observados como má postura, tendinites, pressão alta, dentre outros. O ideal é que pelo menos a cada duas horas se faça alongamentos e exercite movimentos com os ombros, pernas, mãos e tente esticar a coluna em alguma parede ou caminhar um pouco para que não tenha problemas de circulação.

Os resultados obtidos pelas empresas geralmente são muito satisfatórios e programas como esse que integram os funcionários e faz com que sintam-se mais dispostos e empenhados no trabalho. Alguns de seus resultados, segundo Pagliar (2002), são:

Resultados Fisiológicos

- Provoca o aumento da circulação sanguínea em nível da estrutura muscular, melhorando a oxigenação dos músculos e tendões e diminuindo o acúmulo do ácido lático;

- Melhora a mobilidade e flexibilidade músculo articular;

- Diminui as inflamações e traumas;

- Melhora as postura;

- Diminui a tensão muscular desnecessária;

- Facilita a adaptação ao posto de trabalho;

- Melhora a condição do estado de saúde geral;

- Redução da sensação de fadiga no final da jornada.

Resultados Psicológicos 

- Favorece a mudança da rotina;

- Reforça a auto-estima;

- Mostra a preocupação da empresa com seus funcionários;

- Melhora a capacidade de concentração no trabalho.

Resultados Sociais

- Desperta o surgimento de novas lideranças;

- Favorece o contato pessoal;

- Promove a integração social;

- Melhora o relacionamento.

Com a implantação da ginástica laboral nas empresas, fatores que influenciavam a rotina dos funcionários começam a ser revistos e diversos resultados são encontrados. Quando se faz uma análise e resultados são comparados, tanto na parte social quanto na parte de produção da empresa, percebe-se o quanto é positivo a introdução de atividades que dinamizem a rotina de trabalho.

Legislação da Ginástica Laboral

Homem TrabalhandoHá alguns anos, o projeto da obrigatoriedade da ginástica laboral nas empresas entrou em trâmite na Comissão e Justiça de Cidadania, porém nada ainda foi feito.

O projeto baseava-se em depoimentos de empregados que por desconhecimento e falta de preparo acabaram prejudicados e lesionados em seus trabalhos.

Dados da Secretaria de Educação de São Paulo apontam que 60% dos professores da instituição apresentam alterações vocais, tais como: rouquidão, perda da voz, pigarro e cansaço para falar.

Se procurarmos em qualquer repartição pública ou até mesmo em empresas privadas encontraremos funcionários que irão reclamar de uma dor na coluna, devido a má informação sobre como sentar-se adequadamente ou até outros funcionários que estejam cansados, estressados e não estejam produzindo tão bem por estarem debilitados, fisicamente e psicologicamente.

O projeto de lei 1128/03, do deputado Carlos Abicalil (PT-MT), é voltado mais para a área de educação, mas já existem conversas sobre como transformar essa lei em obrigatoriedade em todas as empresas.

Alguns especialistas, médicos, doutores pregam que a ginástica não deve ser obrigatória, porque a intenção é ser voluntária e a partir do momento em que você sanciona uma lei para que seja uma obrigatoriedade, transforma uma prática de lazer em obrigação e logo não haverá motivação para a realização de atividades.

Qualquer um pode realizar a atividade de ginástica laboral nas empresas?

Não, não se pode realizar tal atividade sem um curso específico e sem formação adequada na área de fisioterapia ou educação física. Vários são os motivos para que seja obrigatório um profissional e não pessoa sem qualificação mínima.

As atividades físicas por mais simples que pareçam como um alongamento, uma massagem, podem trazer sérios prejuízos para sua saúde e para o seu corpo, se mal feita. Estiramentos, lesões musculares, traumas ósseos entre outros problemas são comuns em uma atividade sem a supervisão de um profissional e sem as informações adequadas para a atividade.